×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Cultura Guias Secretos O Que Fazer

O roteiro cultural de Alfama que não podes perder

Valter Leandro Valter Leandro - Editor

O roteiro cultural de Alfama que não podes perder

Uma das melhores coisas que te pode acontecer em Alfama é perderes-te! Mas hoje apresentamos-te um mapa dos sítios que tens mesmo de visitar. 🗺️📍

O bairro de Alfama é sinónimo de Lisboa, e um dos mais antigos que podes encontrar na cidade capital, com mil e um lugares para conhecer e visitar.

Nesta lista vamos apresentar-te a alguns desses locais que, caso ainda não os conheças, tens mesmo de visitar para te tornares fã nº 1 do bairro mais tradicional e pitoresco de Lisboa.

Uma das melhores coisas que te pode acontecer em Alfama é perderes-te | Foto por Valter Leandro

1 – Casa dos Bicos

Poucos sabem que dentro da Casa dos Bicos há um museu totalmente gratuito, mas, de facto, este edifício histórico de Lisboa não acolhe apenas a Fundação José Saramago (esta com entrada paga de 3€).

No piso térreo está o Núcleo Arqueológico da Casa dos Bicos, integrado na rede do Museu de Lisboa, que conta a história da cidade desde a ocupação romana até ao século XVIII.

Por lá, vais encontrar vestígios romanos (como cetárias), troços da muralha tardo-romana e da muralha medieval, além de objetos recolhidos nas várias campanhas arqueológicas que passaram pelo local, como cachimbos ou vasos.

Casa dos Bicos
Casa dos Bicos em Lisboa | Foto por Museu de Lisboa

2 – Sé de Lisboa

A Sé de Lisboa, ou Igreja de Santa Maria Maior, é a sede do Patriarcado de Lisboa e da Paróquia da Sé.

A sua construção teve início na segunda metade do século XII, após a conquista da cidade aos Mouros por D. Afonso Henriques, e apresenta-se hoje como uma mistura de estilos arquitetónicos, estando classificada como Monumento Nacional desde 1910.

Sé de Lisboa | Foto por Claudio Schwarz Purzlbaum

3 – Mural de Amália Rodrigues

A típica e castiça Alfama também dá a conhecer um dos trabalhos mais conhecidos do street artist Vhils: o mural que representa a fadista Amália Rodrigues.

A obra, situada na Rua de São Tomé e intitulada “Calçada”, é totalmente executada em calçada portuguesa.

Mural de Vhils, de homenagem à fadista Amália Rodrigues | Foto por @juliopereiramusic

4 – Porta de Alfama

A Porta de Alfama tem séculos de história, desde a altura que os mouros andavam por cá.

Fica na Rua de São João da Praça e já existe desde o século XI, na altura designada pelos árabes por Bāb al-Hamma, ou Porta das Termas, por ali existir um local termal.

Há mais para saber sobre: a Porta de Alfama
A Porta de Alfama tem séculos de história | Foto por Valter Leandro

5 – Miradouro e Igreja de Santa Luzia

Mesmo sendo procurado todos os dias por milhares de turistas, este miradouro consegue ser um dos recantos mais românticos do bairro, não só pelas belas vistas, mas também pela sua pérgola florida.

Ali ao lado está a Igreja de Santa Luzia, construída no século XVIII, onde se destacam os painéis de azulejos (no exterior) que representam a conquista de Lisboa aos Mouros na Praça do Comércio antes do Terramoto de 1755.

Já conheces os nossos miradouros preferidos?
miradouros em Lisboa
O miradouro de Santa Luzia é um dos mais visitados da cidade | Foto por @rubenmneves

6 – Miradouro das Portas do Sol

É um dos miradouros mais procurados de Lisboa e facilmente se percebe porquê: é a autêntica varanda de Alfama, com vistas incríveis para o casario do bairro, mas também para o Panteão Nacional, para o Tejo e para a margem Sul.

Miradouro das Portas do Sol | Foto por @josefmagalhaes

7 – Igreja e Miradouro de Santo Estevão

Ao contrário dos dois miradouros anteriores, este ainda vai conseguindo escapar (na medida do possível) a invasão turística.

É um recanto escondido e sossegado no meio do bairro, com vistas para os telhados vermelhos e para o Tejo, à sombra da Igreja de Santo Estevão. Esta foi construída em 1733 e é um belo exemplo do barroco português da época.

Igreja e Miradouro de Santo Estevão | Foto por @millsfc16

8 – Torre de São Pedro

Não muito longe da Porta de Alfama, a três minutos a pé pela Rua de São Miguel, fica outro ponto interessante neste bairro: a Torre de São Pedro, o lugar perfeito para descansar enquanto percorres as ruas e ruelas estreitas de Alfama.

Sabe mais sobre: a Torre de São Pedro
Torre de São Pedro | Foto por Valter Leandro

9 – Igreja e Mosteiro de São Vicente de Fora

Entre Alfama e o Campo de Santa Clara, o Mosteiro de São Vicente de Fora é um dos mais grandiosos e imponentes monumentos religiosos de Lisboa.

Publicidade

Começou a ser construído em 1582 e ficou concluído em 1629, apresentando um estilo maneirista, com detalhes góticos e barrocos. No interior, vale a pena admirar os azulejos que representam as Fábulas de La Fontaine e o altar-mor da igreja, enquanto no topo do edifício está um dos mais incríveis (e desconhecidos) miradouros da cidade.

Também podes ler: 10 curiosidades sobre este mosteiro
mosteiro de são vicente de fora
Mosteiro de São Vicente de Fora | Fotografia de @Deensel

10 – Igreja de São Miguel

Mesmo no coração do bairro, entre becos e vielas, existe esta igreja com origens no século XII, mas reconstruída em 1673.

Em estilo maneirista e barroco, apresenta uma rica decoração em talha dourada.

Igreja de São Miguel em Alfama Foto por Claudio Schwarz Purzlbaum

11 – Feira da Ladra

A Feira da Ladra é um dos mercados de velharias mais antigos do país e, por isso, considerado um dos mais importantes e conhecidos em Lisboa. 

Criado no século XIII, este mercado já esteve em várias localizações, mas foi só a partir de 1903 que começou a “habitar” o Campo de Santa Clara.

Aqui podes encontrar tudo aquilo que imaginas, de objetos decorativos a livros, passando por roupa, mobília ou até bens mais inusitados – há óculos graduados e até dentaduras!

Conhece mais sobre: a Feira da Ladra
A Feira da Ladra é um dos mercados lisboetas onde vão mais pessoas | Foto por Câmara Municipal de Lisboa

12 – Panteão Nacional – Igreja de Santa Engrácia

Não fica propriamente em Alfama, mas está tão próxima que faz parte obrigatória de qualquer roteiro pelo bairro, fundamentalmente porque serve de “morada” final a alguns dos maiores vultos nacionais, como antigos Presidentes da República e escritores.

Fundada em 1568, só ficou concluída em meados do século XX, devido a várias razões (como a morte do arquiteto ou o terramoto de 1755) que deram origem à famosa expressão “obras de Santa Engrácia”.

Também podes ler: expressões populares que nasceram em Lisboa
Panteão Nacional – Igreja de Santa Engrácia | Foto por @flyingbydaniel

13 – A Baiuca

Entre as muitas casas de fado que Alfama acolhe, destacamos esta por estar ligada ao fado vadio tradicional e genuíno.

Bem no coração do bairro, tem um ambiente e uma atmosfera inigualável, com guitarradas e fados à desgarrada, sempre com um copo de vinho em cima da mesa. 

A Tasca do Chico e a Mesa de Frades são outras casas no bairro que vivem e respiram o fado.

Também poder ler: as melhores casas de fado em Lisboa
Casa de Fado “A Baiuca” em Alfama

14 – Museu do Fado

O Museu do Fado foi inaugurado a 25 de setembro de 1998 e é a grande homenagem a todo o universo do fado e da guitarra.

Este museu é a verdadeira homenagem ao género musical que já abrilhantou muitas salas de espetáculos, um pouco por todo o mundo.

Conhece mais sobre: o Museu do Fado
Museu do Fado em Alfama | Foto por Câmara Municipal de Lisboa

15 – Museu do Azulejo

Em nenhum outro lugar do país existem tantos painéis, murais e até fachadas de edifícios (quase) totalmente revestidas com estas pequenas obras de arte.

O Museu do Azulejo está atualmente instalado no antigo Convento da Madre Deus, fundado em 1509 pela Rainha D. Leonor, e apresenta toda a história do azulejo em Portugal desde a segunda metade do século XV até aos dias de hoje.

Conhece mais sobre: o Museu do Azulejo

Mas há muito mais para descobrir neste que é um dos nossos bairros preferidos em Lisboa. Conhece todos os seus segredos neste artigo.