15 sítios imperdíveis em Sintra

Roteiro obrigatório entre palácios, praias e uma serra mística

Património Mundial da UNESCO, Sintra dispensa apresentações. Para conhecer todas as suas belezas seriam precisos muitos dias (talvez semanas) e, mesmo assim, ficaria sempre algo por descobrir, num recanto na vila, entre a vegetação da serra ou numa praia secreta.

Mesmo assim, decidimos criar uma lista com 15 locais imperdíveis no concelho, daqueles que toda a gente devia visitar (pelo menos) uma vez na vida. Sintra é mágica e muito do seu encanto passa por aqui.

1. Palácio Nacional da Pena

Um dos maiores ex-líbris de Sintra (e de Portugal), o Palácio da Pena e o parque em redor são o expoente máximo do revivalismo romântico em Portugal. Situado no Monte da Lua, bem no topo da Serra de Sintra, nasceu da imaginação de D. Fernando e transformou-se num autêntico palácio de conto de fadas, assente em enormes rochedos.

Uma das suas características mais marcantes é a mistura de estilos arquitetónicos, do romantismo ao neogótico, passando pelo neomourisco e pelo neomanuelino. No interior, destaca-se a decoração ao gosto dos reis da época, a Capela do Monge, os aposentos reais e as belas pinturas murais.

Foto: José Inácio Souto

2. Palácio de Monserrate

Construído em 1856, para servir de residência de verão a Francis Cook, é uma das mais incríveis criações do romantismo. O interior revela espaços elegantes e faustosos, como a Galeria (corredor que liga as três torres do palácio), a sala de música, a sala de jantar ou a biblioteca.

Ao redor do palácio, o Parque de Monserrate acolhe uma notável coleção botânica com espécies de todo o Mundo, que se misturam com a vegetação autóctone ao longo de 50 hectares. O destaque vai para o Vale dos Fetos, provenientes da Nova Zelândia e da Austrália, e para o Vale do México, com lagos artificiais e uma enorme araucária, com mais de 45 metros de altura.

fOTO: @unsplash.com/@albertohlfrias

3. Palácio da Regaleira

A Quinta da Regaleira e o seu palácio são, provavelmente, o local mais enigmático e místico de Sintra. Mandado contruir no início do século XX pelo milionário António Carvalho Monteiro (também conhecido por Monteiro dos Milhões), o edifício é um exemplo do estilo romântico revivalista que junta elementos góticos, manuelinos, e renascentistas, mas também muita simbologia esotérica.

Na quinta, coberta de vegetação luxuriante, sobressaem a Capela da Santíssima Trindade e, principalmente, o famoso poço iniciático, com a sua icónica escadaria em espiral.

Foto: @Quinta.da.Regaleira

4. Palácio Nacional de Sintra

Com origens árabes, este palácio no coração da vila foi residência da família real portuguesa desde o século XII. É um exemplo único dos paços medievais portugueses, mas revela diversos estilos arquitetónicos (reflexo do gosto de diferentes reis), que vão do gótico ao mudéjar, passando pelo manuelino.

Não deixes de conhecer a capela, as cozinhas, com as suas grandes chaminés cónicas, mas também as salas dos Cisnes, dos Brasões e das Pegas.

5. Castelo dos Mouros

Construído num pico rochoso da Serra de Sintra, possivelmente entre os séculos VIII e IX, este castelo é testemunho da presença islâmica da região. Depois da reconquista cristã, foi ampliado e reforçado algumas vezes.

Além de monumento histórico, hoje é também um incrível miradouro, com vista para a vila de Sintra e para toda a região em redor.

Foto: @ricksteveseurope

6. Palácio de Seteais

Construído no século XVIII, acolhe atualmente um dos mais emblemáticos e deslumbrantes hotéis de Sintra: o Tivoli Palácio de Seteais. Situado na encosta da serra, oferece vistas incríveis, que vão do Palácio da Pena ao mar, passando pela charneca saloia.

Deslumbrantes e românticos são também os jardins que rodeiam esta unidade de cinco estrelas, com destaque para os jardins labirínticos.

Foto: www.visitportugal.com

7. Chalet da Condessa d´Edla

Construído no século XIX por D. Fernando II para a sua segunda mulher, a Condessa d´Edla, este edifício segue o modelo dos chalets alpinos da época. No interior, salta à vista uma pintura mural em estuque decorativo, bem como o revestimento das paredes com painéis embutidos de cortiça e madeira.

O jardim, de feições românticas, tem uma coleção botânica com centenas de espécies, entre vegetação autóctone e exemplares exóticos de todo o mundo.

Foto: www.visitportugal.com

8. Convento de Santa Cruz da Serra de Sintra

Mais conhecido por Convento dos Capuchos (ou da Cortiça), foi fundado em 1560 pelo conselheiro de Estado de D. Sebastião, D. Álvaro de Castro. Este eremitério, contruído entre rochedos e densa vegetação, começou por ser habitado por oito frades franciscanos, provenientes da Arrábida, passando a simbolizar o ideal de fraternidade desta ordem.

Sobre ele, D. Filipe II de Espanha e I de Portugal disse: “Nos meus reinos, duas coisas tenho que muito me apraz, o Escorial por muito rico e o Convento dos Capuchos em Sintra por muito pobre”.

Se fores até lá, também vais ficar impressionado com a tranquilidade deste local e pela simplicidade dos vários espaços, sobretudo as minúsculas celas forradas a cortiça.

Foto: @nataliaushakova

9. Quinta da Ribafria

É um dos segredos mais bem guardados de Sintra e dos poucos sítios onde os turistas estrangeiros ainda não estão em maioria. Situada junto à serra, na zona do Lourel, tem inúmeras áreas verdes, árvores frondosas e um belo solar, mandado construir em 1541.

Depois de longos anos ao abandono, passou a ser propriedade da autarquia e agora recebe eventos e visitas do público em geral.

Foto: @f_sg

10. Palácio Valenças

Situado no coração da vila de Sintra, este imponente edifício de arquitetura revivalista serviu de residência ao conde de Valenças. Entre os seus elementos mais curiosos está um painel de azulejos na fachada principal que simula um guarda porta.

Atualmente, acolhe o Arquivo Municipal de Sintra, mas antes serviu de biblioteca municipal. Os antigos funcionários diziam que vivia lá uma fantasma, chamada Palmira, antiga criada do conde que se suicidou naquele local por causa de um amor impossível.

Junto a ele existe o belo Parque da Liberdade, bem no coração da vila, com uma enorme variedade de plantas raras.

Foto: cm-sintra.pt

11. Serra de Sintra

A vila de Sintra e os seus palácios não seriam o mesmo se não existisse a Serra de Sintra. Os romanos chamavam-lhe Mons Lunae, O Monte da Lua, e este misticismo subsiste até hoje. Estendendo-se ao logo de 10 quilómetros, quase até ao Cabo da Roca, esta serra única é composta por densa vegetação, que convida a longas caminhadas.

O seu ponto mais elevado é a Cruz Alta, no Parque da Pena, que fica a 529 metros de altitude.

Foto: @camaradesintra

12. Peninha

Sobranceiro ao Cabo da Roca, a quase 500 metros de altitude, o sítio da Peninha é um dos locais mais surpreendentes da serra de Sintra, não só pelas vistas incríveis, mas pelos edifícios que acolhe. Ali existe um Santuário com origens na época da formação do reino de Portugal (a atual capela é do século XVII) e um palacete romântico de estilo revivalista, construído em 1918.

Património Municipal, não recebe visitas ao interior, por isso apenas pode ser observada do exterior.

Foto: https://caminhando.pt

13. Cabo da Roca

O ponto mais ocidental do continente europeu, “onde a terra acaba e o mar começa”, como escreveu Luís de Camões, é um local de visita obrigatória nos arredores de Sintra (a 17 quilómetros da vila), não só pelo seu simbolismo, mas também pela beleza envolvente, com o mar em pano de fundo.

Lá, vais encontrar também um farol, construído em 1772, a 165 metros acima do nível do mar.

Foto: @gleb-makarov

14. Praias

Com muitos quilómetros de costa, o concelho de Sintra tem inúmeras praias que vale a pena conhecer, apesar das águas frias e da ondulação forte que caracteriza a maioria. Entre as mais famosas, estão a Praia Grande, a Praia das Maçãs e a Praia da Adraga. Mais desconhecidas são as praias da Aguda, da Samarra ou de São Julião, enquanto a mais secreta (cada vez menos) e inacessível é a Praia da Ursa, junto ao Cabo da Roca.

À beira-mar fica também uma das mais belas aldeias de Portugal, Azenhas do Mar, com o seu casario construído ao longo da encosta.

Foto: @camaradesintra

15. Palácio Nacional de Queluz

Situado em Queluz, ainda no concelho de Sintra, foi mandado construir por D. Pedro II entre 1747 e 1786, para servir de residência real. Tanto o palácio como o jardim revelam fortes influências francesas e italianas. O acervo integra elementos do Barroco, do Rocaille e do Neoclássico.

No exterior há um Jardim Botânico, lagos, fontes e ainda as instalações da Escola Equestre de Arte Portuguesa, fundada em 1979 para promover o ensino, a prática e a divulgação da Arte Equestre tradicional portuguesa.

Foto: www.parquesdesintra.pt

Foto de capa: @unsplash.com/@lucasmiguel

Tags:

';return t.replace("ID",e)+a}function lazyLoadYoutubeIframe(){var e=document.createElement("iframe"),t="https://www.youtube.com/embed/ID?autoplay=1";t+=0===this.dataset.query.length?'':'&'+this.dataset.query;e.setAttribute("src",t.replace("ID",this.dataset.id)),e.setAttribute("frameborder","0"),e.setAttribute("allowfullscreen","1"),this.parentNode.replaceChild(e,this)}document.addEventListener("DOMContentLoaded",function(){var e,t,a=document.getElementsByClassName("rll-youtube-player");for(t=0;t