×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
O Que Fazer

11 sítios imperdíveis em Belém

By Nelson Rodrigues Junho 11, 2020

É dos bairros da cidade com mais monumentos e museus por metro quadrado e percebe-se porquê. Afinal, foi daqui que partiram os navegadores portugueses à conquista do mundo.

Hoje, são os turistas que invadem a zona, impressionados com a História e a monumentalidade desta faixa à beira-Tejo.

E tu, há quanto tempo não és turistas em Belém? Vê o nosso roteiro e prepara já uma visita. Escolhemos 11 locais que tens mesmo de visitar.

1 – Torre de Belém

Ícone de Lisboa e do país, a Torre de Belém foi construída no início do século XVI (entre 1514 e 1521) num ilhéu de basalto junto à antiga praia do Restelo. Na altura, era um importante baluarte de defesa do rio, mas nestes cinco séculos de vida teve outras funções, incluindo a de masmorra.

Património da Humanidade pela UNESCO desde 1983, é uma joia da arquitetura manuelina, com vários elementos decorativos associados aos Descobrimentos, como as armas reais, a esfera armilar ou a cruz da ordem de Cristo. Entre as imagens que guarda, destacam-se a de Nossa Senhora do Bom Sucesso, que diziam proteger os navegantes, e a de um rinoceronte, considerada a primeira representação deste animal no Ocidente.

No interior, vale a penas subir ao último piso para admirar as incríveis vistas para o Tejo, para a zona de Belém e para a Margem Sul.

2 – Padrão dos Descobrimentos

Construído em 1960 para assinalar os 500 anos da morte do Infante D. Henrique, este imponente monumento em forma de caravela tem 56 metros de altura e 46 metros de comprimento.

Como elemento central surge, precisamente, o Infante D. Henrique, acompanhado por 32 figuras associadas aos Descobrimentos, como o rei D. Afonso V, Vasco da Gama, Pedro Ávares Cabral ou Fernão de Magalhães.

No topo tem um miradouro com vistas únicas para o Tejo, para a Praça do Império, para a Rosa-dos-Ventos situada à entrada do Padrão.

3 – Centro Cultural de Belém

O CCB, como lhe chamam os lisboetas, foi construído por ocasião da presidência portuguesa da União Europeia, em 1992. Desde então, é um dos principais dínamos culturais da cidade, recebendo exposições, espetáculos de todas as artes e festivais que atraem milhares de visitantes, com destaque para os Dias da Música. Inclui também o Museu Coleção Berardo de Arte Moderna e Contemporânea, além de lojas e restaurantes virados para o Tejo.

Foto: @centroculturaldebelem

4 – Mosteiro dos Jerónimos

Património da Humanidade pela UNESCO desde 1983, é um dos maiores símbolos da arquitetura manuelina portuguesa, construído no século XVI. O seu nome deve-se aos monges da Ordem de S. Jerónimo que o habitaram.

Entre o muito que tem para admirar, destacam-se as fachadas, sobretudo a Porta Sul, a igreja, os claustros e a capela-mor, onde estão sepultados os reis D. Manuel I e o seu filho D. João III. O mosteiro guarda ainda os túmulos do navegador Vasco da Gama e do poeta Luís de Camões.

5 – Museu da Marinha

Numa ala do Mosteiro dos Jerónimos, este museu dá a conhecer o incrível passado marítimo português com a ajuda de milhares de peças. Entre elas estão embarcações, globos antigos, cartas marítimas e instrumentos de navegação. Expõe também uma imagem do arcanjo São Rafael, que acompanhou Vasco da Gama até à Índia.

Foto: ccm.marinha.pt

6 – Planetário Calouste Gulbenkian

Inaugurado em 1965, ao lado do Museu da Marinha, o Planetário chama, desde logo, a atenção pela sua cúpula semiesférica que pode ser vista do exterior. La dentro, esta serve de tela a um projetor que recria mais de 9000 estrelas, bem como a Via Láctea, as constelações e muito mais.

Os visitantes podem ainda conhecer uma exposição ligada à astronomia e à aventura espacial.

Foto: @blog.rentthesun.com

7 – Jardim Botânico Tropical

Fundado há mais de um século (em 1912), junto ao Mosteiro do Jerónimos, já teve o nome de Jardim Colonial, Jardim do Ultramar e Jardim Agrícola Tropical. Nos seus cinco hectares, guarda mais de 500 espécies de flora, a maioria de origem tropical ou subtropical. Desde o início de 2019 que está encerrado para obras de remodelação.

Foto: museus.ulisboa.pt

8 – Museu de Arte Popular

Inaugurado em 1948, num edifício junto ao Tejo, este museu dá a conhecer a arte popular e etnográfica das várias regiões do país, reunindo um acrevo recolhido desde 1935, durante as Exposições Universais do Estado Novo. Reaberto desde 2016, também acolhe várias exposições temporárias.

Foto: @paulo.c.lopes

9 – MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia

É um dos mais novos (e vibrantes) museus da cidade, saltando desde logo à vista pela sua arquitetura moderna e envolvente, mesmo em frente ao Tejo.

Lá dentro, vais encontrar inúmeras exposições relacionadas com arte, arquitetura e tecnologia, mas também um vasto programa de eventos e atividades para toda a família.

Além do novo edifício, com quase três mil metros quadrados, o museu integra ainda a antiga Central Termoelétrica de Lisboa, um dos mais importantes exemplos nacionais de arquitetura industrial da primeira metade do século XX.

Foto: @MAAT

10 – Museu Nacional dos Coches

Não é por acaso que pode orgulhar-se de ser um dos museus mais visitado do país. Já o era no antigo espaço do Picadeiro Real e continua a ser no novo e moderno edifício, inaugurado em 2015. Aqui, está guardada a mais importante coleção mundial de coches e carruagens reais, com peças que vão do século XVI ao XIX.

Foto: www.museudoscoches.pt

Entre elas, destacam-se os coches de Filipe II e da embaixada de D. João V ao Papa Clemente XI.

11 – Pastéis de Belém

Ir a Belém e não comer um dos seus famosos pastéis, é quase como ir a Roma e não ver o papa. Desde 1837 que esta casa faz as delícias de locais e turistas, graças a uma antiga (e secreta) receita do mosteiro vizinho. Não te deixes intimidar pelas filas e compra um (se calhar uma caixa até será melhor) porque estes doces são mesmo uma delícia.

Foto de capa: @onlybyland