×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Cultura

MAAT, o museu mais moderno de Lisboa

Valter Leandro Valter Leandro - Editor

MAAT, o museu mais moderno de Lisboa

O MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia é uma das propostas culturais mais modernas na cidade de Lisboa. Vamos conhecê-lo? 💛

O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, mais conhecido pela abreviatura MAAT, é um dos museus mais modernos de Lisboa, por onde passa grande parte da arte contemporânea na capital portuguesa.

O MAAT foi inaugurado em 2016, sendo por isso um dos espaços culturais mais recentes da cidade, é gerido pela Fundação EDP e assume-se como uma instituição internacional que promove o discurso crítico e a liberdade criativa, num misto entre passado, presente e futuro.

O MAAT fica localizado junto à frente ribeirinha de Belém | Foto por Sara Depraetere

O MAAT fica junto ao Museu da Eletricidade e à frente ribeirinha e histórica de Belém, numa área total de 38 mil metros quadrados, que inclui o equipamento MAAT e a termoelétrica Central Tejo, construída em 1908.


Também poder ler: outros lugares incríveis em Belém


O MAAT foi desenhado pelo estúdio de arquitetura londrino AL_A (Amanda Levete Arquitects), responsável por alguns dos projetos de arquitetura mais emblemáticos em todo o mundo, onde o nosso MAAT é claramente um dos mais reconhecidos.

Além do edifício principal, o MAAT conta ainda com um jardim que faz a ligação entre as infraestruturas, conceptualizado pelo arquiteto paisagista Vladimir Djurovic.

Esta área mais verde possui cerca de 225 metros e uma largura média de 100 metros, e integra-se perfeitamente na paisagem, destacando-se ainda a densa vegetação que permite reduzir o ruído do tráfego rodoviário e ferroviário desta zona da cidade.

Os jardins junto a ambos os edifícios estão perfeitamente alinhados com o meio ambiente | Foto por FG + SG

Os jardins, além de possuírem áreas de lazer, com zonas de descanso, dispõe ainda de duas instalações permanentes: “Placed on Either Side of the Light” (1999) de Lawrence Weiner e “Central Tejo” (2018) de Pedro Cabrita Reis, à quais se juntam, temporariamente, intervenções artísticas e programas públicos organizados ao longo do ano.

Arte, Arquitetura e Tecnologia

O MAAT divide-se em três áreas: a imaginação, através da Arte; onde vivemos, através da Arquitetura; e o que criamos, através da Tecnologia.

E é à volta destes três eixos que se centram todas as mostras e exposições contemporâneas que por lá passam. Por exemplo, na sua reabertura, dia 5 de abril, foram inauguradas três exposições em simultâneo. Podes ler mais sobre elas neste artigo.

Tudo o MAAT é extremamente arquitetónico. Só passar por lá já vale a pena | Foto por Vitali Harmash

O MAAT, por dentro

Por fora é inigualável, mas é no seu interior que acontecem as suas maiores manifestações, leia-se exposições e outros eventos artísticos.

Publicidade

Dispõe de quatro espaços onde acontecem as várias mostras durante o ano, num total de 3 mil metros quadrados. São eles a Galeria Oval, a Galeria Principal, o Vídeo Room e o Project Room.

No primeiro espaço, caracterizado por uma curva interior, podes passear por um percurso onde estão expostos os seus projetos de maior destaque. Já a zona principal, com 1.000 metros quadrados, fica localizada no piso inferior e oferece bastante versatilidade, preparando-se para receber qualquer tipo de programação. Já os espaços de video e projetos, servem para a apresentação de filmes, vídeos ou outros suportes, multimédia ou não.

Uma das quatro áreas de exposição disponíveis no MAAT | Foto por MAAT

O espetacular miradouro do MAAT

Antes de terminarmos esta breve visita ao MAAT, não podíamos deixar de mencionar o fabuloso miradouro do MAAT, com uma fantástica vista para o Tejo, e um dos locais de eleição em Lisboa para ver o pôr do sol.


Também podes ler: outros locais incríveis para ver o pôr do sol em Lisboa


Miradouro do MAAT, uma visita obrigatória
O miradouro do MAAT já é palco de milhares de fotografias nas redes sociais | Foto por Madalena Veloso Magda Ehlers
Esta foto foi captada ainda antes da pandemia, com muita gente ansiosa por ver o miradouro | Foto por @amandalevetearchitects
O MAAT visto a partir do rio Tejo, ao fim da tarde | Foto por ©Fernando Guerra

O viaduto que te leva a este miradouro é, também ele, uma obra de engenharia espetacular. Também foi projetado pela arquiteta britânica Amanda Levete e passa sobre a Avenida da Índia e sobre a linha férrea para permitir o acesso à cobertura do museu, facilitando ainda o acesso ao estacionamento da Cordoaria Nacional.

Possui 123,7 metros de comprimento e inclui um tabuleiro pedonal e uma ciclovia, estando disponível 24 horas por dia.

Vista aérea do MAAT e do viaduto de acesso ao miradouro | Foto por @rubenmneves

Ah, é verdade! Sabias que o MAAT já venceu um concurso de fotografia em 2019? Espreita aqui a notícia.

Perto do MAAT

Perto do MAAT ficam outros pontos de visita bastante interessantes. Ali ao lado fica o Museu da Eletricidade (Central Tejo) e, seguindo toda a marginal em direção ao mar, vais ainda encontrar o Centro Cultural de Belém, o Mosteiro do Jerónimos (não percas os pastéis de nata aqui perto), a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos, entre outros sítios fantásticos que te convidamos a visitar.

Zona de entrada do MAAT ao entardecer | Foto por Jo Kassis

Queres conhecer outros sítios de interesse em Lisboa? Estas são as nossas sugestões!

Foto de capa: @rubenmneves