Três coretos centenários para descobrir em Lisboa - Lisboa Secreta
×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Made in L

Três coretos centenários para descobrir em Lisboa

By Inês Santos Setembro 12, 2019

Tempo houve em que Lisboa estava repleta de coretos, edificados em inúmeras praças, jardins e zonas de lazer da cidade. A sua função primordial era a de receber concertos, sendo portanto importantes estruturas de entretenimento e diversão na capital. Hoje em dia, sobram apenas 10 mas só 3 são centenários. 

1. Coreto do Jardim da Estrela

Apesar de já ter 125 anos de existência, o coreto do Jardim da Estrela passou os seus primeiros anos de vida na Avenida da Liberdade. Foi inaugurado a 15 de agosto de 1894, sendo da responsabilidade de José Luís Monteiro, arquiteto que também assinou o projeto da Estação do Rossio e o belíssimo Salão Portugal da Sociedade de Geografia de Lisboa.

Coreto ainda na Av. Liberdade | José Chaves Cruz [19-] | AML
Porém, o aumento do tráfego automóvel e a progressiva concentração de serviços e lojas na avenida levaram a que o público deixasse de procurar o então coreto da Avenida da Liberdade com tanta frequência. Tornara-se também incomportável, devido ao ruído elevado, a realização de concertos. Assim, foi desmontado e novamente edificado no Jardim da Estrela, com inauguração no dia 15 de outubro de 1936 ao som da banda da GNR. É, hoje em dia, o maior coreto da capital e é, na nossa opinião, o mais bonito!

Foto: Andrés Lejona [2002] | AML

2. Coreto da Praça José Fontana

Jardim Henrique Lopes de Mendonça, em frente ao Liceu Camões, é outro dos locais que alberga um dos coretos centenários da cidade. Neste exato local, existia um primeiro coreto, construído em 1863 e demolido em 1909 devido às alterações urbanísticas da zona, que incluíram a construção do Liceu Camões.

Em 1912, foi aprovado o projeto para a construção de um novo coreto, com assinatura do arquiteto José Alexandre Soares, aluno de José Luís Monteiro. Não há referência à data exata da sua inauguração mas foi certamente construído no início do século XX e, em 1919, já recebeu os festejos do 9º Aniversário da República Portuguesa. Em 1987, sofreu novas obras de restauro e, em 2010, foi construído um quiosque modelo Olísipo ao lado do coreto, que trouxe nova vida ao jardim. Até hoje, foi já palco de muitas festas e concertos!

Foto: @flickr.com/photos/framendes

3. Coreto da Praça Viscondessa dos Olivais

Apesar de não ter o mesmo charme dos outros dois coretos centenários da cidade, o coreto da Praça Viscondessa dos Olivais é também uma peça importante na história destas estruturas públicas na cidade de Lisboa.

Foto: Augusto de Jesus Fernandes [1961] | AML
Inaugurado a 09 de agosto de 1896 pela Sociedade Filarmónica União e Capricho Olivalense e pela Banda dos Bombeiros Municipais, este coreto veio assumir-se como palco de concertos e festas nesta praça dos Olivais. O seu autor é desconhecido e, aquando da sua construção, foi decidido que seria edificado ao lado do chafariz, datado de 1891.

Feito de tijolo e cantaria, o coreto tem, na cúpula, duas liras cruzadas que simbolizam a sua função primordial: ser um palco musical. Continua a ser utilizada por ocasião dos Santos Populares, em vários arraiais e outros eventos musicais e festivos.

Foto: @lisboacultura.itinerarios

Foto de capa: @wikimedia.org