×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
O Que Fazer

Curiosidades de Lisboa: a história dos autocarros 837 e 851

Valter Leandro Valter Leandro - Editor

Curiosidades de Lisboa: a história dos autocarros 837 e 851

A Carris é uma das empresas de transportes históricas da cidade. Hoje vamos conhecer dois dos seus autocarros emblemáticos: o 837 e o 851. 🚌

A história dos transportes coletivos na cidade de Lisboa pode começar a ser contada a partir do momento em que a empresa Carris foi fundada, a 18 de setembro de 1872, no Rio de Janeiro, no Brasil.

Na altura com a designação de Companhia Carris de Ferro de Lisboa, a sua implementação na capital portuguesa só viria a registar-se a 14 de novembro desse mesmo ano. 

@carris.pt

72 anos depois

Apesar de a empresa ter começado a transportar os lisboetas, principalmente através dos seus equipamentos elétricos (elevadores e ascensores), a verdade é que só 72 anos depois é que foi inaugurado o seu primeiro serviço de autocarros, a 9 de abril de 1944.

A Exposição do Mundo Português, em 1940, foi o grande catalisador do investimento empreendido pela Carris para transportar os visitantes desta exposição para Belém.

Sabias que foi também nesta data que foi construída a primeira versão do Padrão dos Descobrimentos?

@carris.pt

Contudo, foi só em 1947 que a empresa recebeu os primeiros autocarros com dois pisos, dos quais fazem parte os dois ícones que hoje te apresentamos: o autocarro 837 e o autocarro 851.

O primeiro entrou ao serviço em 1968 e integrou aquele que foi o primeiro conjunto de autocarros Daimler Fleetline construídos com o volante à esquerda, de acordo com as necessidades e exigências do trânsito lisboeta.

Juntamente com o autocarro nº 807, a Carris atingiu as 1000 unidades de veículos de transporte de passageiros em 1967. E, para assinalar este importante marco, o autocarro nº 837 circulou pela cidade de Lisboa com uma placa a indicar: “Eu sou o 1000º veículo ao serviço da Lisboa”.

Publicidade

@museudacarris

Se quem está a ler estas linhas for daquele tempo, é bem provável que julgue estranha a cor destes autocarros, e tem toda a razão. É que originalmente os autocarros Daimler e AEC eram verdes, mas com a atualização da frota, a partir de 1975, a cor laranja passou a ser a tonalidade dominante dos transportes da empresa.

Atualmente, como sabes, o clássico e lindo amarelo (que sempre foi a cor dos elétricos) passou a ser a cor padrão de todos os transportes operados pela Carris… a cor que melhor condiz com a nossa iluminada Lisboa.

@museudacarris

O autocarro nº 851

Quanto ao autocarro nº 851, faz parte de um conjunto de cinco veículos que facilmente são identificados pelo aspeto da sua carroçaria, com duas portas para os passageiros circularem e uma escada de acesso ao 2º piso, localizada no meio da viatura.

A sua cor dominante também era a verde, com uma faixa branca por baixo das janelas do piso inferior. Hoje, no Museu da Carris, está pintado desta forma, uma criação do pintor Eduardo Nery, que cria a ilusão de estarem dois autocarros sobrepostos. Os miúdos adoram!

@museudacarris

Foto de capa: @museudacarris