×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Arte & Cultura

Afinal, quem foi Calouste Gulbenkian?

Descobre o percurso de vida do senhor 5%

By Nelson Rodrigues Março 25, 2019

Provavelmente já foste inúmeras vezes ao jardim, às exposições e aos espetáculos da Gulbenkian, mas fazes ideia de quem foi o homem que dá nome a um dos espaços culturais mais importantes de Lisboa?

No ano em que se assinala o 150º aniversário do nascimento de Calouste Gulbenkian, a Fundação apresenta uma exposição sobre ele que vale mesmo a pena conhecer. Chama-se “Calouste: uma vida, não uma exposição” e está patente até ao fim do ano.

Antes de passares por lá, revelamos-te alguns segredos e curiosidades que te vão ajudar a conhecer melhor esta personagem incrível, que atravessou duas grandes guerras, fez fortuna com o petróleo, mas não conseguiu comprar tudo o que queria.

Foto: @fundacaocaloustegulbenkian

Calouste Sarkis Gulbenkian nasceu a 23 de março de 1869, em Istambul, no antigo Império Otomano.

Pertencia a uma ilustre família arménia, com negócios nas áreas da banca e do querosene (um derivado do petróleo), que lhe possibilitou uma educação privilegiada e com horizontes largos.

Assim que terminou o ensino secundário, foi para Marselha (aperfeiçoar a língua francesa) e depois entrou para o King’s College, de Londres, onde fez o curso de Engenharia e Ciências Aplicadas. Mais tarde, adquiriu nacionalidade britânica.

Desde cedo seguiu as pisadas do pai e assumiu as rédeas do negócio da família, negociando (habilmente) contratos de exploração petrolífera com grandes empresas internacionais.

Rapidamente fez fortuna na área do petróleo (que, aliás, revolucionou) ao deter 5% da Companhia de Petróleo Turca, o que lhe valeu o título de “Senhor 5%”. Chegou mesmo a possuir uma das maiores fortunas do mundo.

Ao longo da vida, foi reunindo uma coleção de arte valiosíssima (com mais de 6 mil obras) e filantropo de várias causas. Mas nunca conseguiu comprar um quadro de Goya que sempre ambicionou ter, “La Condesa de Chinchón”, hoje exposto no Museu do Prado.

Calouste Gulbenkian passou a viver em Lisboa em 1942, fugindo à Segunda Guerra Mundial, onde faleceu a 20 de julho de 1955, com 86 anos. Aqui deixou a sua fortuna e um legado marcante.

Foto: @fundacaocaloustegulbenkian

A face mais visível é a Fundação Gulbenkian, onde está exposta a sua coleção importante de arte. Esta instituição com sede em Lisboa trabalha, sobretudo, em quatro áreas, tal como o seu testamento determinou: Arte, Ciência, Educação e Beneficência.

Destaque ainda para o Jardim da Gulbenkian, espaço que ocupa 7,5 hectares e que serve de casa à Fundação, sendo um verdadeiro oásis verdejante no meio da cidade!

Foto de capa: @fundacaocaloustegulbenkian