×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...

Caminhada para ver arte nas tampas de esgoto em Lisboa

Valter Leandro Valter Leandro - Editor

tampa de esgoto há art no esgoto

Pois é, até nas tampas de esgoto há cultura na cidade de Lisboa, desde o Parque das Nações até ao Mosteiro dos Jerónimos, que é o percurso que vais poder fazer nesta caminhada de 25 km organizada pela 4 Trilhos, agendada para o próximo dia 12 de fevereiro.

É verdade que só vai acontecer daqui a um mês, mas o número de pessoas que já se mostraram interessadas em ir a este evento é de tal ordem que temos em crer que as inscrições podem esgotar num ápice.

“Há Art no Esgoto”

Nesta caminhada o que se pede é que olhes para o chão. Porque é lá que vais conhecer a iniciativa “Há Art no Esgoto”, que assinala a importância da água e o Dia Mundial do Saneamento.

Durante o percurso de 25 km, entre o Parque das Nações e o Mosteiro dos Jerónimos, vais poder admirar 12 desenhos gravados a laser e instalados em 36 tampas de esgoto, da autoria do artista plástico Gilberto Gaspar.

De entre as tampas de esgoto que vais poder observar vais encontrar representações do Padrão dos Descobrimentos, da Ponte 25 de Abril, da Sé de Lisboa, do Marquês de Pombal, entre muitas outras.

O programa

O percurso de 25 km é de nível moderado, pelo que se aconselha roupa adequada à estação, e calçado confortável e aderente.

O encontro está marcado para dia 12 de fevereiro às 09h na Gare do Oriente, no Parque das Nações, em frente ao café “Jerónimo”. Está previsto terminar às 17 horas.

O valor de cada inscrição, que pode ser efetuada neste formulário, é de 10 euros e inclui guia e seguro de acidentes pessoais e responsabilidade civil.

A organização recomenda ainda que leves água e alguns snacks para comer no caminho, como sandes, barras energéticas, frutos secos ou fruta.

Este evento respeita ainda todas as recomendações sanitárias da DGS relativas a regras de equipamento de proteção individual, conduta social, etiqueta respiratória e distanciamento de segurança.

Cultura O Que Fazer