Tropismo: o novo restaurante de Lisboa tem arte, charme francês e um jardim secreto - Lisboa Secreta
×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Restaurantes

Tropismo: o novo restaurante de Lisboa tem arte, charme francês e um jardim secreto

Descobre a novidade mais saborosa de Campo de Ourique

By Nelson Rodrigues Julho 22, 2019

Todos os dias abrem novos restaurantes em Lisboa, mas nem sempre é fácil encontrar algo verdadeiramente original que nos deixe surpreendidos e de boca aberta.

Muitas vezes, o segredo é espreitar, bater à porta, meter dois dedos de conversa (sim, somos muito cuscos) porque para lá de uma fachada discreta podem surgir autênticos tesouros.

É isso mesmo que acontece com este Tropismo, acabadinho de abrir na Rua Correia Teles (n.107A), em Campo de Ourique, quase na esquina com a Maria Pia.

A maior surpresa da casa está guardada, precisamente, ao fundo do espaço – um incrível jardim secreto –, mas basta passarmos pela porta de entrada para vermos que este não é um restaurante como os outros.

Foto: @Tropismorestaurante

Isso percebe-se, desde logo, pelo slogan, “uma experiência francesa out-of-the-box”, mas também pelo conceito do Tropismo, que se apresenta como “um restaurante com ética, que ajuda uma economia mais local e procura respeitar o ambiente”.

“Os nossos legumes são biológicos, os peixes selvagens, todos os produtos são nacionais, incluindo a carne, de animais criados ao ar livre”, explica a gerente Luha Vieira, com um indisfarçável sotaque francês.

De França chegou também o chef Luca Fievez, um apaixonado por botânica, viagens e gastronomia que tem como lema “Podemos fazer qualquer coisa sem nada, mas nada sem ninguém”.

O resultado acaba por ser um cruzamento entre a cozinha tradicional gaulesa, a cozinha ética e diatética e os melhores produtos nacionais, numa carta relativamente curta, mas cheia de tentações.

A lista de entradas e petiscos é composta por meia dúzia de sugestões, como o Crème Brulée de cabra ao alecrim, os Croquetes de porca da cabeça aos pés ou a Salada francesa de alho francês e vinagrete.

Entre os pratos principais destacam-se Chucrute do Mar (couve fermentada à casa com camarão, peixe, marisco e beurre blanc) , o Empadão confit de pato caseiro e as Bochechas de porco, apenas para dar alguns exemplos.

Por fim, não deixes de guardar um cantinho no estômago para uma destas tentadoras sobremesas: Profiteroles (chou caseiro com sorvete de nata), Tarte de maçã (massa folhada caseira e pasta de amêndoa e maça orgânica) ou Merengue de limão (arreia bretão, sabayon de limão, sorvete de limão). Aos fins de semana, também há um menu especial de almoço.

Foto: Nelson Jerónimo Rodrigues

Tudo isto num espaço de “arte total”, entre o étnico e o (quase) psicadélico, assinada por um artista que esteve três meses em residência no local (antes de abrir).

E isso nota-se por todo o lado, seja na sala de refeições principal, decorada com várias peças de arte, mas também no bar, nas casas de banhos e, claro, no incrível jardim, que é o espaço mais surpreendente deste Tropismo.

Aqui, os muros pintados de azul intenso e temas da Natureza contrastam com o verde das plantas e da videira (uma latada com uvas e tudo) que dão sombra e uma atmosfera especial ao espaço.

Não falta sequer uma fonte ao centro, para criar uma espécie de Éden secreto em pleno bairro de Campo de Ourique.

Afinal, não é por acaso que o restaurante foi batizado com o nome Tropismo, palavra que representa o fenómeno natural de um organismo vivo em crescer na direção do que mais precisa. Assim acontece, por exemplo, com as folhas das plantas que crescem viradas para o Sol, ou com as raízes, que procuram a água e os melhores nutrientes.

Uma coisa é certa, neste restaurante tudo parece estar em harmonia: as plantas, a decoração, a gastronomia e os clientes, que aqui encontram um recanto relaxante, gourmet e com boa onda.

Foto: @Tropismorestaurante

Foto de capa: Nelson Jerónimo Rodrigues