×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Cultura

8 tradições fascinantes do Halloween à volta do mundo

Valter Leandro Valter Leandro - Editor

8 tradições fascinantes do Halloween à volta do mundo

O Halloween é festejado em todo o mundo, e algumas destas celebrações podem ser muito estranhas. Vamos conhecer 8, além do nosso Pão por Deus!

O Halloween é uma celebração cristã, mas as suas raízes são algo complexas. Muitos dos elementos tradicionais do Halloween vêm do festival da colheita pagã e celta de Samhain.

Com a ascensão do cristianismo em locais como Inglaterra e Irlanda, estas tradições tornaram-se sinónimos de Halloween. Em muitos países, as pessoas vestem-se e usam máscaras para confundir as almas dos mortos que queriam acertar contas com as pessoas que as injustiçaram.

Esta tradição particular perdura há muito tempo. No entanto, a essência do Halloween cristão é honrar as almas dos mortos. Muitas religiões também têm festivais que servem a um propósito espiritual semelhante. É desta forma que esta temporada assustadora é celebrada em todo o mundo:

1 – A oferta de Bolos de Alma, em Inglaterra (o mais parecido com o nosso Pão por Deus)

Os Bolos de Alma são pequenos e redondos, e são especialmente confecionados para o Halloween. Estes bolos são dados às crianças que batem às portas, que cantam e oram pelas almas dos mortos.

É uma tradição inglesa e, em alguns locais, era habitual carregarem uma cabeça de cavalo numa vara, chamada de sabugo velho, que é algo que certamente não gostarias de ver no escuro.

É uma tradição muito antiga, e ainda existe em alguns países, nomeadamente nas Filipinas e em Portugal. Os bolos são dados em troca de uma promessa por parte do destinatário: que eles orarão pelas almas da família do doador.

2 – Dia dos Mortos, no México

O Día de Los Muertos é uma tradição mexicana que se tornou conhecida em todo o mundo devido aos trajes brilhantes e elaborados usados durante o festival.

Para lembrar as almas dos parentes mortos, as pessoas reúnem-se para orar e celebrar a vida. São construídos verdadeiros altares nas casas das pessoas para os falecidos, cobertos com flores e com os objetos favoritos dos falecidos.

Os túmulos dos mortos são decorados e é feita a oferenda de presentes. É uma celebração muito colorida e alegre da vida e da morte.

3 – Pangangaluwa (Espiritualidade), nas Filipinas

Pangangaluwa tem o mesmo significado que o nosso Dia de Todos os Santos, mas nas Filipinas. As crianças cobrem-se com um lençol branco para parecerem fantasmas e batem de porta em porta em troca de doces.

Tal como em Portugal, é também normal os filipinos viajarem para as cidades onde nasceram para visitar os túmulos dos seus parentes.

Esta enorme reunião anual de parentes nas sepulturas terá uma aparência muito diferente neste ano, com a proibição destas viagens por parte do Governo, devido à pandemia.

4 – Barmbrack recheados, na Irlanda

Barmbrack é um saboroso pão irlandês, recheado com frutas secas e, muitas vezes, com uma xícara de chá. No século XVIII, era habitual rechearem estes bolos  com objetos: com um anel, uma ervilha, uma vara, uma moeda e um pano.

Conforme fosse a parte da fatias que recebesses, havia um significado diferente: a fatia com um anel significava que, provavelmente te casarias em breve; a ervilha significava o contrário; a vara previa um casamento conturbado; o trapo previa uma vida de pobreza para o destinatário; e a moeda significava riqueza.

Os Barmbracks ainda são tradicionais no Halloween na Irlanda, mas hoje em dia já não é permitido rechear com este objetos, ainda que em algumas situações a moeda ainda seja escondida, para gáudio dos mais pequenos.

Publicidade

5 – Teng Chieh, na China

Teng Chieh, também é conhecido como o Festival dos Fantasmas, e marca o fim do Ano Novo Chinês, sob a lua cheia.

É normal as pessoas pendurarem lanternas fora das suas casas ou até nas empresas, criando um espetáculo de luzes orgânico em todas as ruas onde este ritual é habitual.

Como na maioria das (boas) celebrações, no Teng Chieh festeja-se com muita comida, também ela oferecida aos espíritos dos ancestrais que já partiram.

6 – Pchum Ben, no Camboja

O Pchum Ben geralmente é celebrado em outubro no Camboja, e dura 15 dias inteiros, onde as pessoas prestam homenagem a parentes falecidos.

Os 15 dias em que as almas vagueiam pela Terra são um momento de celebração, ao invés de consternação, uma vez que as pessoas reúnem-se para comer e tocar música.

7 – Fave dei morti, em Itália

Na Itália, os biscoitos fave dei morti costumavam ser feitos de fava, mas agora são feitos com amêndoas, o que parece muito mais apetitoso.

São, tradicionalmente, ingeridos no Dia de Todos os Santos, que também é o dia em que os parentes vão visitar e cuidar dos túmulos dos seus parentes falecidos.

Em Roma, é um dia popular para fazer a pergunta: “Queres casar comigo?” 

 

8 – Descascar maçãs para prever o futuro, no Reino Unido

Embora esta tradição não seja muito popular, ainda se mantém acesa. No Halloween, as pessoas descascam uma maçã e, de seguida, atiram uma fatia da casca para trás delas.

A fatia de uma casca vai enrolar-se no chão e, habitualmente, forma uma letra, que será a inicial do futuro cônjuge. Na Escócia, as pessoas arrancavam caules de cabeças de couve e usavam-nos desta mesma maneira.

Foto de capa: @conner-baker
Adaptação de Secret London