×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Restaurantes

Jantar no Pigmeu: deu porcaria… mas da boa!

O ciclo #vaidarporcaria começou com um jantar dedicado à agricultura sustentável

By Nelson Rodrigues Novembro 19, 2018

Nós já tínhamos avisado! O restaurante Pigmeu, em Campo de Ourique, adora cozinhar #detudoumporco e não há dia em que daquela cozinha não saia #porcaria.

Estamos a falar, é claro, da carne de porco, a grande inspiradora da casa e do ciclo de jantares #vaidarporcaria (sim, o título é mesmo assim) que arrancou este domingo, dia 18 de novembro.

Nesta segunda edição, dedicada à ecogastronomia, desafiou vários chefs a criarem uma refeição a várias mãos e os dois primeiros convidados foram Vasco Coelho Santos (restaurante Euskalduna) e Carlos Teixeira (Esporão).

Estes, juntaram-se à equipa do Pigmeu para prepararem um jantar inspirado no primeiro tema do ciclo: “+ Agricultura Sustentável”.

Foto: Nelson Jerónimo Rodrigues

O objetivo, lembrou Miguel Peres, dono do Pigmeu, passou por “ativar consciências, levando as pessoas a pensarem na gastronomia com um carater de sustentabilidade e como uma maneira fácil de contribuírem para mudar um Mundo”.

Cada garfada que damos tem impacto no planeta, por isso é importante olhar para aquilo que comemos, para aquilo que compramos, para aquilo que desperdiçamos e para aquilo que compõe o nosso prato”, acrescentou.

Este é um tema que te preocupa? Então, o #vaidarporcaria é para ti!

A escolha de Vasco Coelho Santos e Carlos Teixeira não foi um mero acaso. Ambos os chefes têm as suas hortas biológicas, de onde trouxeram alguns produtos para o jantar, e há muito que não deixam as preocupações ambientais em lume brando.

Assim, todos os momentos do menu assentavam num equilíbrio entre carne de porco e produtos biológicos.

Foto: Nelson Jerónimo Rodrigues

Primeiro, chegou à mesa um pão e uma broa de milho amarelo (acompanhada por gordura de porco, para aproveitar tudo), e depois foram servidos vários snacks, como o folar transmontano com enchidos ou um mil folhas de batata com pasta de mioleira de porco.

Nas entradas, Vasco Coelho Santos preparou beringelas com molho de pezinhos de porco e boletos, enquanto a equipa do Pigmeu fez uma sopa com trigo barbela, uma espécie autóctone que não precisa de pesticidas.

Quanto aos pratos principais, o chef do restaurante Esporão apresentou um cozido de grão e o colega do Eskalduna fez uma cabeça de xara que levava suspiros, azedas, uma salada de diferentes pickes e castanhas. Houve ainda uma salada de couves inspirada no montado, com porco, bolota, azeitona e pinhão.

Por fim, uma sobremesa de marmelos biológicos, criados na Herdade do Esporão.

Foto: Nelson Jerónimo Rodrigues

Depois deste jantar, o ciclo #vaidarporcaria terá mais quatro refeições. Já no próximo domingo, dia 25 de novembro, será a vez de Diogo Noronha (Pesca) e Vitor Adão (Qtª do Arneiro) cozinharem com base no tema “– consumo e carne”.

“+ Localismo e sazonalidade” será o tópico de 2 de dezembro, com Michelle Marques e Ruben Trindade (Mercearia Gadanha) e Filipe Ramalho (Basilii). O ciclo termina a 9 de dezembro sob o mote “– desperdício”, a cargo de Manuel Liebaut (Loco) e André Lança Cordeiro (Essência).

Qual deles é que preferes? Escolhe o que combina mais contigo (ou vai a todos) e arante já um lugar no #vaidarporcaria

Foto de capa: @denisgiacobelis