×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Natureza & Bem-estar

As bolas de Berlim também chegam de barco

No mar ou na praia, (quase) não há sítio onde a OlháBola não vá

Nelson Rodrigues Nelson Rodrigues

As bolas de Berlim também chegam de barco

“Se não vai Maomé à montanha, vai a montanha a Maomé”, já diz o ditado, mas em Setúbal esta lógica também se aplica às… bolas de Berlim. Depois das praias, este doce de verão passou a chegar ao mar e o negócio vai de vento em popa.

A ideia foi de João Pissarra, jovem empreendedor que decidiu levar à prática um negócio aparentemente simples, mas que ainda ninguém tinha pegado: vender bolas de Berlim a quem passeia de barco pela região.

Ora, de barcos percebe ele, mas de bolas nem tanto, por isso decidiu juntar-se a um sócio – Joel Tavares (ele sim, perito em bolas de Berlim) – e ambos fundaram a OlháBola, em 2018.

Depois de um ano de arranque, este verão estão de volta para correr as praias da região, desde Setúbal até Alpertuche. E também dão um pulinho a Tróia, mais concretamente às praias do Cabeço e Bico de Lulas.

A lógica é simples: enquanto João Pissarra vende às embarcações (2€ cada bola), um colaborador corre as praias de uma ponta à outra para fazer as delícias dos mais gulosos. Neste caso, o preço é um pouco mais barato: 1,5€.

Publicidade

Há bolas de massa tradicional e alfarroba, simples ou com dois tipos de recheio: creme de ovo e chocolate.

A partir de 1 de junho, a OlháBola vai andar pelo mar e também nas praias de Albarquel, Figueirinha, Creiro (Portinho da Arrábida), Coelhos e Tróia.

Foto: @olhabola.adm

Foto de capa: @olhabola.adm