A Lisboa do passado e do presente: Rua do Carmo - Lisboa Secreta
×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Made in L

A Lisboa do passado e do presente: Rua do Carmo

Da cidade de outrora à cidade dos nossos tempos numa só fotografia

By Nelson Rodrigues Abril 1, 2019

Num século, a Lisboa Menina e Moça cresceu e tornou-se mulher. Nalguns casos, nem parece a mesma, de tão diferente, embonecada e cosmopolita, noutros continua genuína e tradicional, como se o tempo não tivesse passado por ela.

Mas o que é que mudou realmente? Nós fomos à procura da resposta e saímos à rua de máquina fotográfica em punho com um objetivo em mente: comparar o antes e o depois, como se o passado e o presente ficassem congelados numa só imagem.

Vem daí connosco numa viagem pelo tempo desde o início do século XX até ao ano de 2019. A primeira paragem é a icónica Rua do Carmo, no Chiado.

Este é um dos casos em que tanta coisa mudou mas, ao mesmo tempo, a essência e o charme de sempre permaneceram.

As fachadas da Joalharia do Carmo (nº 87B) e da Luvaria Ulisses (nº 87A) continuam incontornáveis, quase iguais, chamando a atenção de quem passa pela sua beleza.

Aberta desde 1924, a primeira vendia sobretudo pratas decorativas e joias (colares, brincos, alfinetes com safiras e brilhantes), enquanto agora um dos principais negócios é a filigrana portuguesa.

Já para a Ulisses, fundada em 1925, os tempos também são outros. Se nos anos 20 do século passado, nenhuma senhora gostava de sair de casa sem o seu par de luvas, hoje são poucas que as usam. Mas ainda há clientes que continuam fiéis.

Igualmente diferente está a vida de rua. Onde antes circulavam carruagens puxadas a cavalos ou a burros e um ou outro automóvel, agora anda-se a pé (a rua tornou-se pedonável) e… de trotinete.

O vestuário, claro, também mudou radicalmente. Os fatos completos e os chapéus são agora uma raridade, com o calçado e a roupa descontraída a marcarem a moda atual.

Nesta espécie de “descubra as diferenças”, vale a pena reparar noutros detalhes, como o empedrado e a calçada portuguesa dos passeios que se mantêm. Mas também numa discreta (e simbólica) boca de incêndio que agora existe junto à Luvaria Ulisses.

O que ficou do passado na Rua do Carmo? Memórias, saudades, muito charme e algumas lições.

Foto antiga – Início do século XX 

Foto: Ferreira da Cunha, in AML/@lisboadeantigamente.blogspot.com

Foto atual – 2019

Foto: @Ringo Giacobelis

Foto de capa/Montagem: Ringo Giacobelis