×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Patrocinado

E se 7 maravilhas do mundo estivessem em Portugal?

Valter Leandro Valter Leandro - Editor

E se 7 maravilhas do mundo estivessem em Portugal?

Era espetacular! E foi por isso que o site Imovirtual “imaginou” este cenário. Vamos ver em que cidades portuguesas estão cada uma dessas 7 maravilhas mundiais. 🗽🗼🕌

É inegável, estamos todos com muita vontade de fazer as malas e voltar a viajar pelo mundo. Ainda não o podemos fazer em total segurança e a verdade é que as principais cidades e atrações turísticas não têm a afluência de outrora.

Mas, se a montanha não vai a Maomé, vai Maomé à montanha e foi isso que fizemos no Imovirtual – trouxemos 7 maravilhas do mundo, que podem não ser as oficiais, mas que não deixam de ser impressionantes obras de arte, para o nosso belo país.

Em Portugal existem inúmeras obras arquitetónicas que não deixam ninguém indiferente, como é o caso do Cristo Rei, também famoso no Brasil e da Ponte 25 de Abril, tão parecida com a conhecida Golden Gate Bridge em São Francisco. Porém, decidimos trazer 7 dos monumentos mais emblemáticos do mundo para Portugal e tornámo-los um pouco nossos.

Já imaginaste o que é poderes visitar a Torre Eiffel na Praça do Comércio? Pode parecer um pouco estranho, mas ao mesmo tempo curioso e, nesta altura em que devemos evitar viagens pelo mundo, era mesmo o ideal!

Cada um destes monumentos foi pensado e adaptado para corresponder a uma cidade portuguesa. Todos eles construídos com materiais que nos identificam enquanto povo, como os azulejos ou mesmo a calçada portuguesa. Vamos conhecê-los?

Torre Eiffel em Lisboa

Na capital francesa ergue-se um monumento que ficará para sempre na história do país. Um símbolo para os parisienses e para toda a França. A Torre Eiffel é um dos edifícios mais icónicos e famosos em todo o mundo.

Em Portugal, temos o sítio perfeito para colocar esta magnificente construção: no centro da Praça mais famosa da Lusitânia e numa das maiores da Europa, a Praça do Comércio. É a porta que dá acesso direto ao Rio Tejo e à baixa da nossa capital. Ainda muito conhecida pelos lisboetas pelo seu anterior nome, Terreiro do Paço, é um local que não deixa ninguém indiferente pela sua amplitude e beleza arquitetónica, com os arcos a enfeitá-la.

Se a Torre Eiffel viesse para Portugal não seria o único monumento construído por Eiffel por estas bandas, sendo que conta com mais de 80 projetos com a assinatura do mesmo no nosso país. O mais famoso é a ponte Maria Pia no Porto. No entanto, a Torre Eiffel em Lisboa não seria uma típica construção deste famoso engenheiro. Seria uma construção que qualquer português reconheceria como sua. Seria uma torre revestida de azulejos, uma das marcas representativas da cultura portuguesa. Usado como elemento arquitetónico e decorativo, para representar um acontecimento histórico, ou apenas para revestir a fachada de um apartamento, é um elemento que decora o nosso país de Norte a Sul.

Qualquer pessoa iria querer desesperadamente um apartamento no Rossio para conseguir chegar bem cedo à Torre Eiffel e evitar filas intermináveis. Um T2 no Bairro Alto teria uma maravilhosa e estonteante vista para o rio com a Torre Eiffel a adornar toda a paisagem. Ou então um T1 em Cacilhas para um casal romântico todos os dias fazer a travessia do Rio Tejo até chegar à famosa e bela torre.

Torre Eiffel em Lisboa

Estátua da Liberdade no Porto

“Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta”, a expressão que de certeza já deves ter ouvido de alguém que se referia à cidade do Porto. Mas o que significa afinal a palavra invicta? Significa nada mais, nada menos que invencível. Esta denominação da cidade tem origem n’ O Cerco do Porto, que aconteceu durante as Guerras Liberais (1832 – 1834). Durante mais de um ano as tropas liberais estiveram cercadas. Foi esta resistência que fez com que os liberais, comandados por D. Pedro, vencessem esta longa batalha. Tornando assim, aos olhos de D. Maria II, sucessora do trono, a cidade invencível.

Sem dúvida que o Porto merecia que se erguesse uma estátua emblemática representativa desta grande e imensa vitória, que mudou o rumo da história de Portugal. Para isso, na visão do Imovirtual, não há estátua que faça mais sentido do que a Estátua da Liberdade, que passaria a representar a vitória dos liberais, perante os absolutistas.

Esta estátua seria feita de madeira, mas não de uma madeira qualquer. O Vinho do Porto é um símbolo inegável não só desta cidade, como também do nosso país. Portanto, a nossa Estátua da Liberdade seria feita da madeira das pipas do Vinho do Porto, com um cinto de metal para estilizar a bela figura da senhora.

Imagina agora o que seria arrendares um apartamento no Porto com uma vista magnífica sobre a cidade e ao fundo poderes contemplar a Estátua da Liberdade. Ou um T2 próximo do Miradouro de Santa Catarina onde podias contemplar o rio a unir-se ao mar e a Estátua a enfeitar a paisagem (era maravilhoso!).

Estátua da Liberdade no Porto

Coliseu em Viana do Castelo

O Coliseu é o maior e mais famoso símbolo do Império Romano. Foi criado como um espaço de entretenimento do povo. Era um anfiteatro onde se assistia a espetáculos e onde os gladiadores romanos lutavam.

Cá em Portugal somos mais pacatos e as lutas nunca fizeram parte da nossa cultura. No entanto, os vestígios do Império Romano no nosso país são muitos. É na cidade minhota de Viana do Castelo, que podemos encontrar a Citânia de Santa Luzia, um dos castros mais importantes para o estudo da Romanização do Alto Minho.

Assim, decidimos transportar o famoso Coliseu para esta cidade, exatamente para o Monte de Santa Luzia, onde se encontram as ruínas das antigas povoações romanas.

Seria decorado com uma das mais famosas e belas artes pela qual Portugal, mais concretamente Viana do Castelo, é conhecido: a Filigrana. É uma arte milenar e foi durante o Império Romano que a palavra teve origem. Este Coliseu não iria deixar ninguém indiferente e nos finais de tarde, o sol refletiria nos finos fios de ouro e toda a cidade emanaria um brilho intenso.

Toda a avenida de Viana do Castelo ganharia uma nova vida e um apartamento no centro da cidade com vista direta para o Monte de Santa Luzia teria uma luz natural intensa e mágica.

Coliseu de Roma em Viana do Castelo

Red Square em Braga

A Red Square ou Praça Vermelha é um dos monumentos mais belos do mundo. Um edifício grandioso, com uma arquitetura sui generis, pintado com cores vibrantes que harmonizam na perfeição. Monumento considerado património mundial, é o coração e a alma de Moscovo e da Rússia.

Com estas informações, em Portugal, só nos conseguimos lembrar de uma cidade onde existe um monumento igualmente grandioso e onde a Red Square encaixaria na perfeição: em Braga, no famoso Bom Jesus.

O Bom Jesus é o sacromonte mais simbólico e grandioso de toda a Europa e, tal como a Red Square, foi classificado pela UNESCO como Património Cultural Mundial da Humanidade. Obviamente, ao trazer a Praça Vermelha para aqui o número de visitantes ia explodir porque Moscovo não tem a vista do nosso Bom Jesus de Braga.

Seria uma Red Square de cores fortes e vibrantes, de cerâmica com as cores do famoso Galo de Barcelos (cidade que fica a dois passos de Braga). O Galo de Barcelos é o símbolo de Portugal, tanto que em qualquer montra de uma loja de souvenirs de norte a sul do país encontram-se galos de Barcelos de todos os tamanhos e feitios. É inconfundível, e um monumento tão próximo da cidade de origem do Galo só poderia ser feito com as cores dele.

Agora pensa só como seria viver no centro da cidade de Braga e no monte que se avista de quase todos os pontos da cidade, em vez de se vislumbrar o Bom Jesus, que já é um edifício imponente, contemplar-se-ia a Praça Vermelha em azul, amarelo, preto, vermelho e branco, incrível, não é? As rendas das casas iriam disparar e um T1 em Braga ia passar a ser um achado. E um T3 com terraço para passar as noites de verão com a Praça como paisagem de fundo? Seria um sonho!

Red Square em Braga

Taj Mahal em Coimbra

Por trás de um monumento tão majestoso, emblemático e sublime só poderia ter estado uma história de amor. O Taj Mahal foi mandado construir pelo imperador Shan Jahan para honrar a memória da sua terceira esposa, a mulher mais amada pelo imperador. Viveram um amor durante 19 anos até à morte da princesa, que faleceu ao dar à luz o 14.º filho do casal. A morte da amada abalou de tal forma Jahan que teve a necessidade de homenageá-la com a construção do imponente Taj Mahal (grande prova de amor, não?).

Foi também em Portugal que se deu uma das histórias de amor mais marcantes: o fatal amor entre D. Pedro e D. Inês, conhecidos como o Romeu e Julieta lusitanos. Os dois viveram um amor proibido durante 10 anos no antigo Paço de Santa Clara, em Coimbra. Foi na Quinta das Lágrimas, parque da cidade dos estudantes e poetas, que Inês teve o seu trágico final. O rei D. Afonso IV, o maior opositor desta união, mandou assassinar D. Inês.

Perante duas histórias de amor tão belas e trágicas, D. Pedro poderia, tal como Jahan, mandar erguer um Taj Mahal português. Como não aconteceu, o Imovirtual vai fazê-lo. Seria um monumento igualmente suntuoso e imponente, mas em vez de se usarem pedras preciosas e mármore para o construir, usar-se-ia o tão famoso barro português. O barro que recorda a nossa infância, os momentos de convívio passados em volta da mesa. O barro decorado com corações, flores e todos os apontamentos românticos que caracterizam não só a nossa nação, como estas duas histórias de amor.

Já imaginaste o que era poder comprar ou arrendar um apartamento em Coimbra ao lado do Taj Mahal? Se tens uma veia romântica, procura já o teu T1 na cidade das letras.

Taj Mahal em Coimbra

Pirâmides de Gizé em Santarém

As pirâmides de Gizé são talvez o monumento mais distinto e magnânimo do mundo. Causador de grande curiosidade pela incógnita da sua origem e pela forma como tais pirâmides foram construídas há tantos milhares de anos.

É no Planalto de Gizé, a 18 quilómetros do Cairo, que podemos encontrar estas tão conhecidas Pirâmides. Ora, Santarém localiza-se precisamente no alto de um planalto e, tal como o Egipto, é uma região de Portugal muito quente e extremamente seca, quase recordando um deserto. Pois bem, não haveria melhor local no país para encaixar as pirâmides de Gizé a não ser nesta bela cidade ribatejana.

Para além disto, Santarém é composto por quinze mosteiros e cerca de quarenta ermidas, o que demonstra uma opulência artística e cultural única. E então se substituíssemos todas estas ermidas e mosteiros por pirâmides? São os três locais de culto e adoração, para não falar de que antigamente, em Portugal, existia a tradição de enterrar reis, bispos e figuras célebres em mosteiros e igrejas, tal como no Egipto antigo enterravam os faraós nas pirâmides.

Um grande monumento como este em Portugal só poderia ser feito de uma grande herança histórica lusitana: a calçada portuguesa. Uma manifestação da cultura, em padrões perfeitamente simétricos, representativos ou não dos grandes feitos portugueses, a preto e branco. O palco de muitos percursos pedonais ao longo dos anos, a calçada portuguesa ornamenta o nosso país com a sua geometria harmoniosa que não deixa ninguém indiferente.

Viver em Santarém teria talvez um custo mais elevado, mas morar numa casa com vista para uma pirâmide valeria a inflação. Vender uma casa ou apartamento seria um grande lucro e para quem quisesse comprar, talvez um T1 ou T2 no centro da cidade, de preferência com vista para as incríveis pirâmides. Ou então, lucrar com um airbnb, porque de certeza que a afluência a Santarém iria explodir.

Pirâmides de Gizé em Santarém

Ópera de Sydney em Faro

Sydney e Faro, o que têm em comum? Duas cidades junto ao mar, de grande importância comercial para cada país e onde a língua predominante é o inglês (just kidding).

A construção da Ópera de Sydney mudou os paradigmas da arquitetura a nível mundial. É um dos mais extraordinários edifícios em todo o mundo, nas orlas do Oceano Pacífico. Considerado Património da Humanidade desde 2007.

Em Portugal, encaixar-se-ia na perfeição na capital do Algarve, em Faro. Mais concretamente, na Ilha da Culatra, também conhecida como Ilha do Farol, pertencente ao concelho de Faro. Uma ilha mágica, iluminada à noite pela luz de um farol que guia os pescadores em busca da costa. Com a Ópera localizada na orla desta ilha, mais facilmente seria avistada e atrairia as atenções mundiais que não iriam querer perder uma visita a tão bela cidade e monumento.

Porém, em Portugal a Ópera teria que ter um toque português. Seria decorada com apontamentos em cortiça, material que tanto representa o nosso país. Não falando que a cortiça é um elemento ideal para tornar a acústica dos espaços perfeita. Ora bem, uma Ópera com uma excelente acústica é o essencial para assistir a qualquer espetáculo.

Arrendar ou comprar uma casa em Faro passaria a ser um desejo ainda mais forte, não apenas por estar ao lado das longas e magníficas praias algarvias, mas também por estar tão próximo de uma obra tão espetacular. Alugar um T3 em Faro para passar as férias com os amigos, certamente se tornaria ainda mais apetecível.

Ópera de Sydney em Faro
Estas foram as nossas escolhas, agora queremos saber quais seriam as tuas! Que monumentos escolherias para acrescentar a esta lista? E de que materiais os farias? Achas que algum deles faria sentido noutra cidade? Conta-nos tudo!