24 horas com a Miss Drag Lisboa

Lola Herself, a melhor drag queen da cidade, fala-nos de si e da sua Lisboa
A segunda edição do concurso Miss Drag Lisboa coroou Lola Herself e agora já ninguém a para. Com ela, os dias nunca são iguais, mas mesmo assim contou-nos por onde gosta de andar e como é vestir a pele da personagem que lhe trouxe a fama.

 

Queres conhecê-la melhor? Anda daí descobrir os gostos, os sonhos e os segredos desta figura incontornável da noite lisboeta, que gosta de misturar expressões em inglês com um toque de humor.

Foto: @lolaherself

1. Para quem ainda não te conhece, quem é a Lola Herself?
I’m a small town girl with big city dreams. Sempre interessada na moda, na arte e nas artes do espetáculo.

2. Foste recentemente coroada como Miss Drag Lisboa. O que significa ter recebido um prémio como esse?
It means that I’m the baddest in town. Estou a brincar. Receber um prémio como este significou imenso, não só pelo que representa para mim, mas também porque é um título que ajuda/ajudou a que mais pessoas tivessem contacto com o meu trabalho. Agora espero que, com esta oportunidade, consiga entreter ainda mais pessoas, tenha a oportunidade de trabalhar com amazingly talented artists, criar mais arte, fazer awesome killer looks e poder representar o melhor possível as minhas sisters e ao meu país.

3. Costumas acordar bem disposta? O que te faz levantar da cama?
Quem não acorda bem disposta sendo linda, talentosa e rainha?! Ahah. O que me faz sair da cama é, sem dúvida, o desejo e a força que tenho em alcançar mais e melhor. Gostava imenso de poder criar um espaço que fosse aberto para toda a comunidade LGBT-Q, um espaço onde as minhas sisters pudessem recorrer quando precisassem de criar algo… ou mesmo só para hangout umas com as outras. Algo tipo uma oficina ou atelier, como preferirmos chamar.

4. Onde gostas de tomar o primeiro café do dia?
Normalmente, eu não tenho o hábito de tomar café pela manhã, mas quando estou nesses dias tenho um sítio de eleição, a ”Fábrica de Lisboa” na rua da Madalena. E a minha eleição é, sem dúvida, um croissant da fábrica com um ovo estrelado, acompanhado de uma limonada com hortelã.

Foto: @lolaherself

5.Como é o teu dia-a-dia? Tens alguma rotina diária ou todos os dias são diferentes?
Todos os dias são diferentes, acho que a única rotina é mesmo apanhar os transportes para me deslocar de um lado para o outro, porque de resto nunca se sabe. Costumo agir muito por impulso durante o meu dia, se não tiver algo programado, tudo pode acontecer. Mas baseio-me sempre no meu estado de espírito, se acordar full on charge então o mais provável é transformar as ruas de Lisboa no meu ALTICE ARENA, ninguém me para com o meu iPhone e auscultadores nos ouvidos ahah.

6. Queres recomendar-nos um sítio para almoçar e jantar?
Existe um restaurante bastante acolhedor e familiar na zona do intendente, chama-se “A Rosa e o Vinho” e é um restaurante com comida tradicional portuguesa. A cozinheira é africana, logo existe um twist aqui. Servem também comida proveniente das colónias, o que para mim é óptimo, dado que não é assim tão fácil encontrar um bom restaurante com comida africana na zona de Lisboa. Este espaço é especial por ser acolhedor, com um ambiente familiar e pelo facto de ter pessoal com ótima disposição. E, claro, sem falar nas suas ótimas seleções de vinhos, pelo menos para mim.

7. Quais são os sítios mais acolhedores para a comunidade LGBT-Q?
Na minha opinião, todos os espaços devem ser acolhedores para a sociedade em geral, não só para a comunidade LGBT-Q. Não sinto que Lisboa seja uma cidade tão violenta e agressiva para com a nossa comunidade. É verdade que ainda existem espaços onde não somos tão bem recebidos (principalmente casas noturnas “heterossexuais”) mas a aceitação está cada vez maior e já podemos sentir-nos seguros na maioria dos locais, em estabelecimentos, rua, etc…

Foto: @lolaherself

8. A noite é a tua altura do dia preferida?
Adoro imenso a noite, é relaxante, podia dizer terapêutico até. Quando tenho que trabalhar em outfits, ou mesmo se estou em processo de criação, prefiro sempre esta altura do dia para o fazer, porque não tenho as distrações normais do dia (trânsito, pessoas, etc-) para atrapalhar a minha concentração. É tudo muito sereno, sou eu, music, e todo o processo de criação. Mágico , posso dizer. E fora estes momentos, quando o sol se põe, alguém tem de brilhar, não é?! Ahahah

9. Como é ser drag queen em lisboa?
É super fun, cansativo mas gratificante. Ouvirmos palavras de apoio e encorajamento em relação ao nosso trabalho das pessoas que seguem a nossa arte é ótimo. Um trabalho competitivo, talvez, porque não temos tantas oportunidades face à quantidade de talento que a cidade tem.

10. Conta-nos um segredo da tua Lisboa…
Lisbon is friendly, tiny and lovely.

Foto de capa: @lolaherself

Tags:

';return t.replace("ID",e)+a}function lazyLoadYoutubeIframe(){var e=document.createElement("iframe"),t="https://www.youtube.com/embed/ID?autoplay=1";t+=0===this.dataset.query.length?'':'&'+this.dataset.query;e.setAttribute("src",t.replace("ID",this.dataset.id)),e.setAttribute("frameborder","0"),e.setAttribute("allowfullscreen","1"),this.parentNode.replaceChild(e,this)}document.addEventListener("DOMContentLoaded",function(){var e,t,a=document.getElementsByClassName("rll-youtube-player");for(t=0;t