Abre em Lisboa a tapiocaria Ohlinda

A tapioca é perfeita para o verão: não tem glúten, é saborosa e substitui o pão!

Vem saber um pouco mais sobre a história da tapiocaria que acaba de abrir na Calçada da Estrela!

Ohlinda é uma tapiocaria e uma homenagem a Olinda, cidade histórica no nordeste do Brasil que cultural e arquitetonicamente está muito próxima das vivências portuguesas. E foi esta proximidade que inspirou o universo da marca Ohlinda, que está aberta em soft opening desde  o mês de maio, na Calçada da Estrela em Lisboa.

Em Olinda consome-se tapioca (que tem origem indígena) desde o século XVI, altura em que os portugueses criaram a casa da farinha na cidade. A tapioca surgiu assim da adaptação do ancestral beiju indígena, pelos portugueses.

E queres saber o segredo da nova tapiocaria lisboeta? O ritual da preparação da tapioca, aprendido no Brasil, que vai desde a preparação artesanal da fécula, bem como todos os recheios tradicionais, onde o ingrediente principal é o queijo coalho.

A Goma de Tapioca vem da mandioca e é livre de glúten, laticínios e OGM. A tapioca preparada na Ohlinda é, ainda, sem conservantes e pode ser feita de vários sabores. Só tem uma coisa que não muda: por aqui, podes ter a certeza que vais encontrar legumes e frutas sempre fresquinhos. Para os vegetarianos e vegans, uma boa notícia: todos os lattes são de origem vegetal.

É mais um sabor do Brasil que invade Portugal, e a melhor parte: é leve, não tem glúten e é perfeito para substituir o pão.

Ohlinda Tapiocaria

Calçada da Estrela, nº177 e 179

(Visited 875 times, 1 visits today)

Tags:

You May Also Like

Restaurantes libaneses: a nova cozinha da moda em Lisboa

Considerada por muitos como uma das cozinhas mais ricas e singulares do mundo, a gastronomia libanesa tardou em ...

O segredo mais saboroso de Campo de Ourique chegou ao centro de Lisboa

Entre os vários segredos que Campo de Ourique continua a guardar, há um especialmente delicioso que os moradores ...

3 restaurantes abertos na consoada e no dia de Natal

E se, este ano, se sentarem todos à mesa à mesma hora e ninguém se preocupar com os ...