Os mais belos palácios de Sintra

8 sítios mágicos e românticos que tens mesmo de visitar

Património Mundial da UNESCO, a mais romântica das localidades portuguesas acolhe palácios exuberantes, imponentes e místicos que todos devem visitar, pelo menos uma vez na vida.

Escondidos entre a vegetação da serra ou bem no centro da vila, conquistam visitantes de todo o Mundo, fascinados com a arquitetura singular e um ambiente de contos de fadas. Ora toma nota da nossa lista de imperdíveis.

Palácio Nacional da Pena

Um dos maiores ex-líbris de Sintra (e de Portugal), o Palácio da Pena e o parque em redor são o expoente máximo do revivalismo romântico em Portugal. Situado no Monte da Lua, bem no topo da Serra de Sintra, nasceu da imaginação de D. Fernando e transformou-se num autêntico palácio de conto de fadas.

No interior, destaca-se a decoração ao gosto dos reis da época, a capela e as belas pinturas murais.

Foto: José Inácio Souto

Palácio de Monserrate

Construído em 1856, para servir de residência de verão a Francis Cook, é uma das mais incríveis criações do romantismo. O interior revela espaços elegantes e faustosos, como a Galeria (corredor que liga as três torres do palácio), a sala de música, a sala de jantar ou a biblioteca.

Lá fora, os jardins acolhem uma notável coleção botânica com espécies de todo o Mundo.

Foto de capa: www.parquesdesintra.pt

Palácio da Regaleira

A Quinta da Regaleira e o seu palácio são, provavelmente, o local mais enigmático e místico de Sintra. Mandado contruir no início do século XX pelo milionário António Carvalho Monteiro (também conhecido por Monteiro dos Milhões), o edifício é um exemplo do estilo romântico revivalista que junta elementos góticos, manuelinos, e renascentistas, mas também muita simbologia esotérica.

Na quinta, coberta de vegetação luxuriante, sobressaem a Capela da Santíssima Trindade e, principalmente, o famoso poço iniciático, com a sua icónica escadaria em espiral.

Foto: www.regaleira.pt/pt

Palácio Nacional de Sintra

Com origens árabes, este palácio no coração da vila foi residência da família real portuguesa desde o século XII. É um exemplo único dos paços medievais portugueses, mas releva diversos estilos arquitetónicos (reflexo do gosto de diferentes reis), que vão do gótico ao mudéjar, passando pelo manuelino.

Não deixes de conhecer a capela, as cozinhas, com as suas grandes chaminés cónicas, mas também as salas dos Cisnes, dos Brasões e das Pegas.

Palácio de Seteais

Construído no século XVIII, acolhe um dos mais emblemáticos e deslumbrantes hotéis de Sintra: o Tivoli Palácio de Seteais. Situado na encosta da serra, oferece vistas incríveis, que vão do Palácio da Pena ao mar. Deslumbrantes e românticos são também os jardins que rodeiam esta unidade de cinco estrelas.

Foto: www.visitportugal.com

Palácio Valenças

Situado no coração da vila de Sintra, entre o Parque da Liberdade e o Palácio Nacional de Sintra, este imponente edifício de arquitetura revivalista serviu de residência ao conde de Valenças. Entre os seus elementos mais curiosos está um painel de azulejos na fachada principal que simula um guarda porta.

Atualmente, acolhe o Arquivo Municipal de Sintra, mas antes serviu de biblioteca municipal. Os antigos funcionários diziam que vivia lá uma fantasma, chamada Palmira, antiga criada do conde que se suicidou naquele local por causa de um amor impossível.

Foto: cm-sintra.pt

Chalet da Condessa d´Edla

Construído no século XIX por D. Fernando II para a sua segunda mulher, a Condessa d´Edla, este edifício segue o modelo dos chalets alpinos da época. No interior, salta à vista uma pintura mural em estuque decorativo, bem como o revestimento das paredes com painéis embutidos de cortiça e madeira.

O jardim, de feições românticas, tem uma coleção botânica com centenas de espécies, entre vegetação autóctone e exemplares exóticos de todo o mundo.

Foto: www.visitportugal.com

Palácio Nacional de Queluz

Situado em Queluz, ainda no concelho de Sintra, foi mandado contruir por D. Pedro II entre 1747 e 1786, para servir de residência real. Tanto o palácio como o jardim revelam fortes influências francesas e italianas. O acervo integra elementos do Barroco, do Rocaille e do Neoclássico.

No exterior há um Jardim Botânico, lagos, fontes e ainda as instalações da Escola Equestre de Arte Portuguesa.

Foto: @parquesdesintra

Foto de capa: @ken4photo

(Visited 401 times, 1 visits today)

Tags:

';return t.replace("ID",e)+a}function lazyLoadYoutubeIframe(){var e=document.createElement("iframe"),t="https://www.youtube.com/embed/ID?autoplay=1";t+=0===this.dataset.query.length?'':'&'+this.dataset.query;e.setAttribute("src",t.replace("ID",this.dataset.id)),e.setAttribute("frameborder","0"),e.setAttribute("allowfullscreen","1"),this.parentNode.replaceChild(e,this)}document.addEventListener("DOMContentLoaded",function(){var e,t,a=document.getElementsByClassName("rll-youtube-player");for(t=0;t