5 Bares para viajar no tempo

São tão exclusivos que tens que tocar à campainha mas quando a porta se abre, voltas ao passado.
Todos os dias Lisboa fica mais moça, ele é lifting de velhos prédios, botox nas calçadas escorregadias e lipo-inspirações de novos bares, cafés e restaurantes. Lisboa está cheia de futuro mas ainda guarda segredos do passado.

Se tens sede de nostalgia e adoras a Lisboa que já foi, ajeita a cartola e prepara-te para viajar no tempo. Desvendamos-te cinco bares que nunca passarão de moda, os clássicos mais charmosos da nossa boémia alfacinha.

Fox Trot – Tv. Santa Teresa, 28

O Fox Trot é uma das quatro criações de Luís Pinto Coelho, o incrível colecionador que nos deu o Procópio, A Paródia e o Pavilhão Chinês.

Quem conseguir nomear outro bar que tenha, ao mesmo tempo, uma lareira, um jardim, uma mesa de snooker e onde ainda se possa comer um bife às duas da manhã, está a inventar.

A decoração pede um pézinho de dança e quem tiver dois não tem desculpa para não dançar o que o nome pede. E o melhor de tudo? Há lugar para estacionar!

A Paródia – R. Patrocínio 26-b

O nome do bar já promete uma noite épica. A Paródia abriu dois dias depois do 25 de Abril e foi buscar a inspiração à revista satírica de Rafael Bordalo Pinheiro. É sítio para tocar piano, discutir política e beber cocktails.

A decoração é Art Noveau e tem uma colecção de caixas de fósforos lendária. Sabemos que a noite foi um sucesso se conseguirmos mudar a opinião de alguém ou ser uma caricatura de nós próprios a la Bordalo! E sim, podes cá vir todos os dias da semana.

Old Vic – Tv. Henrique Cardoso, 41


Se achas que o homem na segunda mesa é o Sherlock Holmes é bem possível que tenhas razão. No Old Vic não só viajas no tempo, como vais até Londres.

O décor é made in England, em madeira e tons quentes e inspira conversas misteriosas. Os sofás de veludo vermelho tornam o ambiente cinematográfico e há até botões para regular luz e chamar o empregado.

A única dificuldade vai ser escolher o teu “veneno” preferido porque os aperitivos são oferta da casa. “Espectacular, meu caro Watson!” é a única conclusão possível.

Rita Alves
Rita Alves

O Procópio – Alto de São Francisco, 21


Sabes que estás no sítio certo quando o barman usa lacinho! O Procópio é o bar quarentão mais procurado pelos verdadeiros amantes do vintage. Espaço de animadas tertúlias, já viu beber à sua mesa, altas personalidades da cena política e intelectual.

Além das lendárias margaritas a escorregar ao som do Jazz, é o sítio ideal para quem gosta de fumar umas cigarrilhas. Aqui ainda se pode respirar como antigamente.

E quem vê todo este glamour por dentro, não imagina que o Procópio está mesmo escondido atrás de uma porta discreta onde até parece que vive uma família com três filhos. Quando ali chegas, tens a sensação de entrar por um portal secreto, onde a boémia dá as boas-vindas.
Pavilhão Chinês – R. Dom Pedro V, 89

É a jóia da coroa! O Pavilhão Chinês podia chamar-se Pavilhão Universal, tal é a colecção de objectos, quadros, miniaturas, capacetes, brinquedos, medalhas e tudo o que possas imaginar. É aproveitar enquanto não se paga bilhete para o bar mais incrível de Lisboa.

São cinco salas tão cheias de maravilhas que não vais conseguir olhar para o telemóvel. Até o menu é digno de estudo, entre chás e cocktails há ilustrações que nos pedem histórias, ao ritmo das tacadas de bilhar. Simplesmente inesquecível.

Tags:

';return t.replace("ID",e)+a}function lazyLoadYoutubeIframe(){var e=document.createElement("iframe"),t="https://www.youtube.com/embed/ID?autoplay=1";t+=0===this.dataset.query.length?'':'&'+this.dataset.query;e.setAttribute("src",t.replace("ID",this.dataset.id)),e.setAttribute("frameborder","0"),e.setAttribute("allowfullscreen","1"),this.parentNode.replaceChild(e,this)}document.addEventListener("DOMContentLoaded",function(){var e,t,a=document.getElementsByClassName("rll-youtube-player");for(t=0;t